Como 20 mil escovas de dentes e caixas de DVD fizeram uma casa

A “Waste House” é considerada como “o primeiro edifício permanente do Reino Unido construído a partir de lixo”. Ganga, caixas de DVD, escovas de dentes e pedaços de carpetes são alguns dos materiais usados
Um grupo de estudantes da Universidade de Brighton, na Inglaterra, e o arquitecto Duncan Baker-Brown construíram uma casa quase inteiramente a partir de lixo. Demoraram um ano a terminar o projecto e da lista de materiais fazem parte, por exemplo, 20 mil escovas de dentes e centenas de caixas de DVD e VHS.
 
A “Waste House” foi construída nos terrenos da universidade e a ideia é provar que os materiais desperdiçados podem ter um fim diferente. “É um facto deprimente que, por cada cinco casas construídas no Reino Unido, o equivalente a uma casa em materiais desperdiçados vá para um aterro”,disse o arquitecto ao “The Guardian”.
 
É, de acordo com o também professor universitário, “o primeiro edifício permanente do Reino Unido construído a explicou ao site de arquitectura Dezeen. “Houve uma série de outros projectos onde as pessoas construíram abrigos ou coisas temporárias a partir do lixo, mas este é o primeiro a obter os regulamentos de construção e aprovação de planeamento”, sublinhou ao mesmo site.
 
Duncan Baker-Brown e os seus alunos usaram dois mil pedaços de carpetes, provenientes de um edifício de escritórios da zona, que iriam acabar no lixo. Pendurados com a face à prova de água para o exterior, foram cortados e reposicionados para funcionarem na fachada do edifício, com dois andares. Para que seja possível ver de que são feitas as paredes, o revestimento tem secções transparentes que revelam os materiais reutilizados.
 
“Todas as lojas de aluguer de vídeo parecem ter fechado enquanto a obra decorria”, brinca Baker-Brown, o que resultou na utilização de caixas de DVD e VHS para isolamento da casa. Já as escovas de dentes — 20 mil, ao todo —, são provenientes de uma empresa de limpeza de aviões. Também é possível ver disquetes e pilhas de ganga (cerca de duas toneladas), importadas da China para uma fábrica de confecção de “jeans”.
 
“Tem que haver uma forma de armazenar e re-utilizar todos os excedentes, em vez de os atirar para um aterro”, defende o arquitecto.
 
Além dos estudantes da Universidade de Brighton, a construção da “Waste of House” contou ainda com a participação de estagiários da empresa Mears e voluntários e estudantes da City College Brighton & Hove. O edifício vai ser usado por estudantes do curso de Design Sustentável daquela universidade e vai estar disponível para a realização de workshops e eventos.
 
Fonte: Jornal “Público”
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s