Como tratar um paciente “NERVOSO”?

Quero partilhar algumas “dicas” para pacientes um pouco mais stressados, que aprendi ao longo dos anos e em algumas formações de relacionamento profissional-paciente. Não quero que seja uma lista exaustiva e por isso vou tentar simplificar…nervous-patients

Seja Pontual

Este é o conselho mais antigo para todos os profissionais de saúde. Sabemos que por vezes é muito complicado cumprir horários, mas para se este tipo de pacientes ter de ficar na sala de espera durante mais tempo do que deviam deixa-os ainda mais stressados. Tente identificar pacientes nervosos antes das consultas para evitar que o tempo de espera seja mais longo. Por exemplo, tenham consulta depois da pausa do almoço para não haver atrasos.

A caminhada

Temos de marcar uma boa primeira impressão. Ir pessoalmente chamar o paciente à sala de espera, apresentar-se de forma educada e fazer conversa enquanto o acompanha para o gabinete ajuda a aliviar a tensão. Isto ajuda o paciente a sentir-se apoiado durante todo o percurso na clínica.

Vemos o mesmo que os nossos pacientes?

nervous-patients

Por vezes esquecemo-nos o quanto o nosso material pode parecer assustador para um paciente nervoso. O espaço de trabalho deve estar o mais livre possível, deixando apenas o  necessário para a consulta. Manter os instrumentos longe da visão do paciente.

Ouvidos abertos

Precisa ouvir mais do que nunca o paciente. A história do paciente dá todas as pistas que precisamos para ajudá-los, os seus medos,  e as astúcias que precisamos para contornar os seus medos. Ao fazer perguntas mostramos interesse em o que o paciente tem a dizer e, como tal, cria maior empatia. Não apresentar imediatamente soluções, apenas tomar notas e deixar o paciente falar. Após este pequeno período de conversa peço se posso “deitar um olho à sua boca”.

Todos somos temos um pouco de “Control Freak”

Algumas palavras sobre o ” sinal STOP “. Todos nós dizemos aos nossos pacientes para levantar a mão esquerda se precisar de parar. Lembre-se que alguns pacientes têm medos ou histórias que os impedem de realmente fazer isso, mesmo se lhes dermos autorização. Então, precisamos de responder aprontadamente a uma mão levantada , mas não podemos contar com essa mão para parar. Observe o paciente e se sentir que ele precisa de parar faça-o.

Expectativas

É importante desenvolver uma base sobre a qual o profissional e o paciente podem trabalhar em conjunto. Eu acho que é importante dizer aos pacientes que se trabalharmos em conjunto num espírito de cooperação mútua, então é altamente provável que sejamos capazes de ajudá-los. No entanto devemos explicar que enquanto um profissional comprometido faremos de tudo ao nosso alcance para ajudar.

Atenção Atenção

Pacientes nervosos necessitam de cuidados de atenção activa 100% do tempo.

Conversa, conversa, conversa

A comunicação é o cerne para ajudar o paciente nervoso a relaxar e a se sentir bem com a situação. Escolha as palavras com cuidado, reformular qualquer parte do processo que você sabe que vai sublinhar-los.

Distracções!

Ok, na verdade, uma pequena distracção? Música, vídeo, seja o que for, mas de preferência algo que seja inclusivo para todos na sala poderem participar. Um paciente com um com os seus phones fica muito isolado, no seu próprio mundo, onde pode imaginar tudo e mais alguma coisa, e não consegue ouvir as palavras do profissional. Por que não ligar o iPod do paciente nas colunas do gabinete?

Pausas frequentes

Faça das pausas frequentes parte da sua rotina. Mesmo se você não acha que o paciente precisa, faça uma pausa para bochechar. Estas pausas ajudam a transmitir a sua preocupação constante para o bem-estar do paciente. Mesmo se forem excessivas os seus pacientes nervosos vaõ agradecer.

Gestão de fluxo de trabalho

É fundamental que cada paciente nervoso recebe os seus melhores esforços. Os cuidados prestados para este grupo de pacientes é, na minha opinião, enormemente gratificante sobretudo quando os ajudamos a superar o enorme obstáculo do nervosismo.

Igualmente reconheço que nestes casos, as suas habilidades clínicas e de comunicação serão testadas ao limite. As visitas iniciais, em particular, podem ser emocionalmente desgastantes para o paciente e para o profissional. Como tal, é sensato gerenciar o fluxo de trabalho para controlar o número de novos pacientes muito ansiosos por dia ou semana.

Agora é só esperar por estes pacientes e mãos ao trabalho. Se quiserem adicionar algo, estejam à vontade e comentem. A partilha de experiências é sempre bem-vinda!

original_happy-guy-patient-lg.jpg

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s