Língua presa – Anquiloglossia

Há tanto a aprender e a partilhar com os leitores do blog! Hoje vou falar da língua presa. Também chamado de anquiloglossia. E também pode afectar os lábios.

Anquiloglossia, ou língua presa, é uma anomalia rara. Esse termo traduz-se pelo frenuloaparecimento de um freio lingual curto ou inserido muito próximo à ponta da língua, de aspecto fibroso. O freio lingual curto pode contribuir para problemas mecánicos na alimentação, fala e amamentação. (Goregen M. Aras MH, Gungornus M, Akgui HM – Departamento de cirurgia oral e maxilofacial da faculdade de Medicina Dentária, Gaziantep).

Esta anomalia é observada, geralmente, em recém-nascidos e em crianças quando o frénulo (pequena tira de tecido que conecta duas estruturas) é muito curto e unido à ponta da língua, limitando os seus movimentos normais. O tipo de freio lingual curto mais comum é da forma parcial. Identifica-se uma relação casual envolvendo a associação de linua-presa-2anquiloglossia e dificuldade na amamentação em recém-nascidos, quando a anquiloglossia está associada à alterações de sucção pode interferir no aleitamento materno ou na fala. (Lalakea ML, Messner AH. Pediatr Clin North Am. 2003 Apr;50(2):381-97. Review.)

Bebés que possuem essa anormalidade, com experiência e amamentação podem ter dificuldade com a má fixação do peito, causando a perda de peso e dor no mamilo materno, o que pode levar ao desmame precoce da criança. (Donna Geddes,Professor adjunto da Faculdade de Ciências Biomédicas, Ciências e Química Biomolecular da Universidade da Austrália Ocidental.)

Quando o bebé não está a ter a amamentação adequada deve ser indicada a remoção através de meios cirúrgicos do freio lingual, também chamado de frenectomia. ( Donna Geddes,Professor adjunto da Faculdade de Ciências Biomédicas, Ciências e Química Biomolecular da Universidade da Austrália Ocidental.)12523805_1194356577259320_393373057_n

Inúmeras alterações são encontradas devido a um freio lingual curto, principalmente no que diz respeito às funções estomatognáticas: sucção, mastigação, deglutição e até mesmo a respiração. Por isso, as mães devem observar seus filhos para que possam detectar essa anomalia o mais cedo possível, pois o diagnóstico precoce continua a ser a chave principal para a prevenção e tratamento, não só de pequenas alterações, como também de doenças mais comprometedoras. (Karabulut. R, K. Sonmez, Departamento de Cirurgia Pediátrica, Universidade de Gazi, AnKara, Turquia.)

Ora aqui está uma lista de problemas:

Bebés e crianças:

  • Incapacidade de mastigar alimentos sólidos;
  • Incapacidade de deglutição;
  • Engasgamento, vomitar;
  • Come muito devagar ou muito depressa;
  • Problemas digestivos;
  • Atraso no desenvolvimento da fala;
  • Dificuldades na fala;
  • Babar frequentemente;
  • Dentes desalinhados ou bastante espaço entre os dentes;
  • Engole ar enquanto come;
  • Falta de confiança.

Adultos:

  • Dentes tortos;
  • Arcos dentários estreitos ou alto palato;
  • Perda óssea;
  • Cáries dentárias;
  • Problemas periodontais;
  • Recessões dentárias;
  • Problemas digestivos;
  • Mobilidade dentária;
  • Pequena abertura da boca;
  • Come devagar;
  • Cuidado com a fala;
  • ATM que estalam;
  • Dores na mandíbula e ATM;
  • Enxaquecas;
  • Apneia do sono;
  • Respiração bucal;

A fim de que seja feito o diagnóstico correcto para realização do procedimento cirúrgico (frenectomia), é fundamental a avaliação multiprofissional (Pediatra,  Médico Dentista (Estomatologista) e Otorrinolaringologista). (Suter V.G, Bornstein MM, Universidade de Berna, em Berna, Suíça).

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s